terça-feira, 25 de agosto de 2009

Olha o Torpor a contrapor o fulgor

A figura, nem costuma figurar nas publicações locais.
A fotografia inserta num jornal local a ilustrar um “artigo de opinião” ajuda à identificação visual: a ligar o nome à pessoa, como diz o povo.
Feita a identificação, estabelece-se a ligação.

Tínhamo-la visto por aí, integrando um grupo de apoiantes de determinada candidatura à Câmara de Matosinhos - grupo a que, com alguma bonomia e enorme condescendência, aceitaríamos que se intitulasse de “Jovens”: uma coisa a brincar.
Agora vemo-la por aqui, integrando uma lista oficial: uma coisa a respeitar.
Dela, nada se conhece, a não ser a sede de protagonismo. E de oportunismo.
De forma tentada, primeiro; de forma consumada depois.

Diz-se que é “produtora de eventos”. Das suas “produções” presumiam-se lucros. “Exagerados”, dizia-se em alguns casos.
Exageros não provados - reconheça-se.
E ainda não investigados - esclareça-se.
Alguma coisa a opor? Absolutamente nada.
Até aqui!

Só que, quando as circunstâncias, favoravelmente conjugadas, aconselhavam serenidade, comedimento, recato e prudência, eis que, tirando-se das suas tamanquinhas, a nossa heroína resolveu “botar faladura”.
Para dizer o quê?

Ora que «…O fulgor que outrora Matosinhos vivia, sofre agora um torpor que o embala e adormece em um marasmo de desordem e caos financeiro sem que a obra surja…».
Entenderam? Nós também não!
E, mais esta: … «…será de novo reconduzido o Rumo de Matosinhos a partir de Outubro…».
Sejamos razoáveis.
“Reconduzir de novo um Rumo” (seja ele qual for) não parece nada fácil.
A menos que, como a autora nos elucida acima, se conte com os «…desígnios das nossas ruas, dos nossos bairros, das nossas cidades e, por consequência do nosso país…».

São expressões arrancadas dum contexto? São, sim senhor. Mas não desmentem a “mensagem”original.
Experimente, caríssimo leitor, ler o “artigo” na totalidade: foi dado à estampa, no Matosinhos – Hoje, hoje disponível nas bancas.
Escusam de nos agradecer a publicidade.
Apesar de apertado, o orçamento deste blog não criou ainda uma rubrica onde possa descarregar estas ofertas…
É que, não somos, por enquanto, produtores de eventos!

1 comentário:

Vitor Soares Maganinho disse...

A coisa tá preta prós blogueiros de Matosinhos. Também, são tão fracos que só têm o que merecem...