quinta-feira, 3 de dezembro de 2009


Há bolos para todas as ocasiões.

Bolo de casamento, bolo de baptizado, bolo de aniversário, bolo de inauguração, bolo de comemoração, e tantos outros.
O que nunca se tinha visto era o bolo de divórcio: bonecas a apunhalar os bonecos, noivos que arreiam nas noivas, maridos que esfaqueiam as mulheres.
Aqui está um exemplo, que mão amiga me fez chegar às mãos.
Com a quantidade de divórcios que por aí há, não deixa esta de ser uma boa janela de oportunidades como se diz em economês.
E talvez nem fosse mau de todo, lançar-se a ideia da noite de núpcias ao contrário.
Os protagonistas da violência doméstica, de que tanto se fala neste tempo poderão, nesta matéria, fornecer preciosas indicações…

2 comentários:

eduardo disse...

Qualquer dia temos bolo do funeral... Há quem pense que a morte também deveria ser uma festa.

JOSÉ MODESTO disse...

As palavras em escuro salientam de uma forma irónica o tipo de politica que se pratica em Matosinhos...

Saudações Marítimas
José Modesto